.

.

Silêncio e Oração

Silêncio e Oração

31 de outubro de 2009

CRISMA OU CONFIRMAÇÃO

* DINAMICA
Hoje vamos começar a refletir sobre outro sacramento, a Crisma que, juntamente com o Batismo e a Eucaristia, faz parte dos “sacramentos da iniciação cristã”.
Na Igreja primitiva os catequizandos recebiam os sacramentos do Batismo, da Crisma e da Eucaristia na noite do Sábado Santo, após longa preparação através do catecumenato.
O sacramento da Crisma tem apresentado, nestes últimos anos, muitos desafios.
Vejamos:
• Sacramento pouco valorizado como compromisso dentro da comunidade cristã.• Adequação de uma idade mais apropriada para entender e assumir este sacramento.• Tempo e formas de preparação, entendendo a catequese como processo.• Catequistas com uma preparação mais adequada.• Comunidades pouco entusiastas e motivadas para cativar e acolher os que querem continuar uma caminhada de fé.• Catequese crismal desligada dos problemas e aspirações dos crismandos.• Vivência e testemunho das famílias que pouco empolga ou motiva seus filhos.• Educação da fé vista como obrigatoriedade, tradição, ou ainda responsabilidade apenas do/a catequista.• A realidade presente em nossa sociedade, que valoriza o momentâneo, o passageiro, o que traz algum benefício, e não o que leva a assumir algum compromisso permanente.• Desengavetar as pastorais para fazer um planejamento em conjunto e realizar um trabalho em parcerias (catequese, liturgia, juventude, missão, vocacional, familiar...).
DINÂMINA:
A) Distribuir aos participantes as frases abaixo, que refletem desafios relacionados com o sacramento da crisma. Trazer as frases já escritas em papéis.
B) Enumerar de um a dez as fichas onde estão as frases.
C) Os números iguais se encontram e discutem o desafio recebido e também poderão apresentar algo de bonito que já está acontecendo na preparação de catequizandos, na paróquia ou comunidade.
D) Partilhar com o grande grupo as reflexões feitas.
1 - Pouco preparo dos catequistas.2 - Desinteresse da família.3 - Contra-valores apresentados pela sociedade.4 - Metodologia pouco adequada.5 - Falta de estímulo da comunidade.6 - Descompromisso dos cristãos batizados.7 - Catequese que não parte das motivações, interesses, problemas dos catequizandos.8 - Sacramentos vistos como tradição, ou ato social.9 - Fé vivida de forma superficial, sem convicção e seguimento a Jesus Cristo.10 - Poucas formas de engajamento na comunidade, durante e após o sacramento da crisma.
ESCLARECIMENTOS
Este sacramento aparece com dois nomes: Confirmação e Crisma.Por muito tempo se entendeu que este sacramento vinha confirmar o Espírito Santo, já recebido no Batismo, ou ainda era um assumir de modo mais consciente o que se tinha recebido como criança.
A presença e a ação do Espírito Santo se faz em todos os sacramentos, mas por excelência encontra-se no sacramento da Crisma ou Confirmação.
“Considerar o dom do Espírito Santo a partir de um só de seus aspectos (militância, força, testemunho, alegria) é sempre empobrecer a sua compreensão global. O que teologicamente está em foco é o Dom que é o Espírito na sua totalidade como o expressa adequadamente a forma sacramental. “... N .... recebe, por este sinal, o Dom do Espírito Santo”. (Pastoral dos sacramentos da iniciação cristã, pág. 25).
A palavra Crisma, no feminino, é o sacramento, ao passo que o crisma é o óleo santo. Quando usamos A Crisma queremos realçar o símbolo da unção com o óleo, portanto ao sermos crismados, somos ungidos pelo Espírito de Deus, para uma missão.
A palavra Confirmação significa que todo cristão, fortalecido pelo Espírito, é capacitado a assumir sua vocação e missão de batizado, para que persevere até o fim no testemunho de Jesus Cristo.
Não podemos pensar tudo isto como algo estático. Os sacramentos são dinâmicos em nossa vida. A cada momento da nossa vida somos convidados, sob a ação do Espírito a confirmar nosso compromisso de cristãos.
Portanto, ambos os nomes têm sua razão de ser.
Os documentos da Igreja, sobretudo o Catecismo da Igreja Católica, usa o termo CONFIRMAÇÃO. E diz: A confirmação aperfeiçoa a graça batismal; é o sacramento que dá o Espírito Santo para enraizar-nos mais profundamente na filiação divina, incorporar-nos mais firmemente a Cristo, tornar mais sólida a nossa vinculação com a Igreja... (CIC 1316).
Isto significa que a fé, na vida do cristão, é um processo. Alimentada, tem a capacidade de se desenvolver e amadurecer.
A fé é como uma planta que necessita de constante cuidados para crescer e ser capaz de dar frutos. O sacramento da crisma possibilita maior aperfeiçoamento e enriquecimento através do Dom do Espírito.
Portanto, não cabe dizer que algo faltou no Batismo e que a crisma vem completar algo, mas existe, sim, uma íntima conexão entre um e outro.
O Espírito Santo nos dá a força especial para tornar a nossa fé mais madura e portanto sermos verdadeiras testemunhas de Cristo, seja em qualquer lugar onde estivermos.
Com o Espírito Santo seremos cristãos 24 horas, isto é, no comprometimento com a paz, a justiça, a solidariedade. Ele é força, alegria, esperança, amizade, comunhão, e ele atua através das pessoas (inclusive daquela que não tem fé), dos sinais dos tempos, das situações políticas e dos desafios históricos.
TENTE RESPONDER
a) O que leva tantos cristãos e cristãs a professar e testemunhar sua fé, mesmo em meio a tantas dificuldades? Pense: nos missionários, nos mártires, santos, santas, homens e mulheres que no seu cotidiano vivem verdadeiramente o seguimento de Jesus Cristo. Que força é esta? De onde vem tanta resistência? Como resistem? Por quê resistem?
b) Enumere pessoas que para você vivem o que assumiram no dia da Crisma. Por que? Como? Onde?
c) Quem será presença do Espírito em meio à guerra do Afeganistão, nos massacres em Israel, na fome da África, na violência das favelas do Rio de Janeiro, dos sem terra em Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso...?
Ir. Marlene Bertoldi

Nenhum comentário:

Postar um comentário